João Azevêdo confirma que discutiu vice-governadoria com Efraim Filho e diz que ainda considera deputado como base do governo

Prestes a anunciar a chapa majoritária para as Eleições de outubro, o governador João Azevêdo (PSB) comentou com jornalistas na manhã desta segunda-feira (28) a saída de Efraim Morais do governo. De acordo com o gestor, o ex-secretário de Agricultura afirmou apenas que precisava de espaço para tomar decisões políticas.

Perguntado se durante a reunião com o deputado federal Efraim Filho (União) foi oferecida a vice-governadoria para a formação da chapa, o governador indicou que houve a discussão por se tratar de uma das funções da composição majoritária. Mesmo com sinais de rompimento do parlamentar com o governo, João Azevêdo disse que ainda o considera como aliado.

“Ele [Efraim Morais] entregou o cargo dizendo que estaria na condição de que iria participar efetivamente da campanha e precisaria de espaço, o que é natural. Como é uma data importante em qualquer pessoa que tenha pretensões políticas não pode estar exercendo cargo a partir de 2 de abril, ele resolveu também se antecipar e talvez possa até colocar seu nome [na disputa]. Isso é uma decisão deles. Não os considero fora da base do governo. Acho que até sexta-feira tudo estará esclarecido”, disse.

“A chapa tem duas funções: senatória e vice. E nós discutimos nessa direção. Não existe uma critério único para escolher quem será o candidato ao Senado. Existe um conjunto de fatores que levam à escolha, como parceria, projeto coletivo e um esforço para que a chapa tenha a maior unidade possível”, concluiu.