Vixe: Aliado de Carlos Rafael sai em defesa dos servidores que estão com nomes sujos e diz que ex-prefeito tem que ir para cadeia

O vereador Jucinério Félix (PTB) usou a tribuna da Câmara nessa segunda-feira (20), e acusou o ex-prefeito de Cajazeiras e seu aliado político, Carlos Rafael  (PTB), de se apropriar indevidamente do dinheiro dos servidores públicos.

Na sua defesa aos servidores da prefeitura, o vereador lamentou que alguns funcionários que tem empréstimos junto aos bancos estejam com seus nomes com restrições no Serviços de Proteção ao Crédito, pois o município descontou desde o mês de setembro de 2012 dos contracheques, mas não fez os repasses para as instituições financeiras.

“Reteu o dinheiro deles. Se foi para o bolso que vá para cadeia que eu ainda vou ver a entrada dele lá”. Detonou o petebista

Segundo Jucinério, o funcionário não pode ficar com o nome “sujo” quando não deve ao banco, pois os descontos foram efetuados em seus contracheques, e apelou que a prefeita Denise Oliveira (PSB), resolva a situação

“Infelizmente a dívida agora é da prefeitura. Que ela possa resolver o problema. Quero pedir ao líder do Governo que converse com a prefeita para que seja resolvido o problema dos funcionários”. Disse o vereador

Junicério terminou sua fala afirmando: “Quem ocasionou isso que vá para a cadeia porque é dinheiro público”.

Os empréstimos foram contraídos no Banco Santander e de acordo com Jucinério, os descontos foram realizados nos contracheques dos servidores, mas não foram repassadas a instituição financeira. A situação ficou mais complicada para os funcionários porque eles não receberam os meses de novembro e dezembro de 2012.

 

O outro lado
O secretário de Articulação Política do Município, Joselito Feitosa, afirmou que a prefeita está mobilizada e mandou notificar o banco para solucionar o problema dos servidores.

Joselito informou que os dois meses que os funcionários não receberam, o banco se comprometeu em efetuar os descontos dos empréstimos referentes aos meses em questão somente no final do contrato, ou seja, quem tem contrato de 24 meses, passará para 26 meses, mas os servidores pagarão apenas 24 parcelas.

“Creio que nesses 10 dias tudo será solucionado e os nomes dos servidores serão regularizados e eles podem começar a comprar fiado”. Disse Joselito

 

 

DIÁRIO DO SERTÃO

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *