PSDB pede prisão de secretários de Ricardo; PSB vê factóide

Os advogados da coligação a “A Vontade do Povo”, encabeçada pelo PSDB, pediram, na tarde desta quinta-feira (08), a prisão dos secretários estaduais de Educação (Aléssio Trindade de Barros), Administração (Livânia Farias) e Saúde (Roberta Abath) por suposto crime de desobediência em uma Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE nº 151474), que apura, no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PB), denúncia de conduta vedada, supostamente cometida pelo governador Ricardo Coutinho (PSB) nas eleições estaduais de 2014.

Em contato com a reportagem do Portal MaisPB, um dos advogados da coligação “A Vontade do Povo”, Eduardo Costa, disse que as condutas vedadas cometidas pelo governador no período eleitoral seriam: utilização de servidores na campanha no horário de expediente, contratações e benefícios para funcionários e perseguição com outros.

“Na fase de diligência pedimos para juntar a folha de pagamento do Estado para comprovar a contratação e nomeação de servidores em período vedado e no ano eleitoral. O desembargador-corregedor José Aurélio acatou nosso pedido e determinou que o Estado, através da secretarias de Saúde, Educação e Administração, prestasse as informações. Os secretários não juntaram as informações. Nós informamos que o Estado se omitiu de prestar as informações e em setembro fizemos um novo pedido. Desta vez, o corregedor, além de acatar a petição, fixou um prazo de 15 dias para os secretários encaminharem a documentação solicitada, com o alerta de ser expedido mandado de prisão por crime de desobediência em caso de desobediência”, disse.

Segundo Eduardo Costa, como os secretários “mais uma vez não repassaram as informações solicitadas”, a coligação pediu para que o despacho do desembargador José Aurélio fosse cumprido. “A uma tentativa clara do governo, uma manobra para obstacular a prestação das informações. Por isso não tinha outro caminho a não ser pedir a prisão dos secretários, como determinou o próprio corregedor do TRE”, comentou.

O outro lado

O advogado Fábio Brito, que representa a coligação “A Força do Trabalho”, encabeçada pelo governador Ricardo Coutinho, por sua vez, disse, em contato com a reportagem do MaisPB,  que a petição da equipe jurídica da coligação “A Vontade do Povo” representa apenas uma tentativa de criar factóide.

Brito disse que os secretários responderam as informações solicitadas pelo desembargador no prazo correto e que a questão está resolvida e esclarecida junto a justiça eleitoral. Ele explicou que a secretária de Saúde apenas pediu um novo prazo de 10 dias e a secretária de Administração esclarecimentos acerca das solicitações do TRE-PB. “Hoje o desembargador José Aurélio acatou os nossos dois pedidos. Então, só podemos concluir que essa petição é uma tentativa de criar um fato absolutamente infundado, sem base jurídica, com fins sensacionalistas”, declarou.

MaisPB