Presidente da Cagepa rebate oposição e revela que Governo Maranhão III elevou folha em 25% nas eleições

O presidente da Cagepa, Deusdete Queiroga, rebateu nesta segunda-feira (16) as insinuações de deputados da bancada de oposição de que a atual gestão vem aumentando os gastos com pagamento da folha de pessoal da empresa. De posse de balancetes financeiros dos últimos anos, ele afirmou que a atual diretoria conseguiu diminuir de 49,7%, em 2010, para 44,5%, em 2012, os gastos com servidores em relação ao faturamento da empresa.

“Em 2008, a despesa de pessoal da Cagepa representou 35,5% de sua receita. Em 2010, último ano do Governo Maranhão III, esse comprometimento subiu para 49,7%, ou seja, quase a metade do faturamento da empresa. Agora em 2012, com as medidas austeras implementadas pela atual gestão, conseguimos reduzir a despesa de pessoal para 44,5%”, historiou o presidente.

Deusdete disse, ainda, que em apenas um ano, o Governo Maranhão III elevou em mais de 25% a folha salarial da Cagepa. “Em 2010, ou seja, em pleno ano eleitoral, o governo passado elevou em nada mais nada menos que 25,3% a folha salarial da Cagepa com relação a 2009. Eles, literalmente, transformaram a empresa em um verdadeiro trem da alegria”, enfatizou.

O presidente revelou, também, que de 2005 a 2010, a folha de pessoal da Cagepa aumentou em quase quatro vezes mais que a inflação do período. “Em cinco anos, a folha salarial da Cagepa subiu 114,8%, enquanto a inflação do período foi de menos de 30%. Isso sim é um dos fatores que tem inviabilizado a empresa”, explicou.

Aumento da despesa
Deusdete explicou que, em 2010, a despesa média mensal da Cagepa com pessoal foi de R$ 16.196.000,00 e justificou o aumento de pouco mais de R$ 2 milhões ao longo dos últimos 18 meses. “Esse aumento é justificado, entre outras coisas, pela convocação de mais de 500 concursados para atuação em áreas operacionais da Cagepa, como também do cumprimento do acordo coletivo de trabalho firmado em 2010, que tem vigência até 2012. Além disso a empresa tem um plano de cargos e salários que prevê aumentos salariais de acordo com o tempo de serviço dos servidores”, enfatizou o presidente, acrescentando que a despesa mensal com pessoal este ano foi em média de R$ 18.382.418,00.

“É preciso deixar claro que existe registrado no Ministério do Trabalho e Emprego, desde 1988, um Plano de Cargos e Salários que assegura a todos os servidores um reajuste de 11% (independente da correção salarial) a cada dois anos, o que gera um crescimento vegetativo anual da folha de pessoal”, acrescentou.

Medias austeras
O presidente da Cagepa destacou que algumas medidas tomadas pela atual diretoria evitaram que o crescimento da despesa com pessoal aumentasse ainda mais.

“Nossa primeira iniciativa em janeiro de 2011 foi demitir todos os comissionados que estavam inseridos na folha e não trabalhavam. Elaboramos, também, um plano de demissão voluntária que culminou com o afastamento de 114 servidores efetivos que estavam aposentados e percebiam salários elevados, pois já estavam na última faixa salarial dentro do plano de cargos e salários. Essas duas medidas reduziram a folha mensal em mais de um milhão de reais”, observou.

Deusdete revelou, por fim, que atualmente existem apenas 180 comissionados trabalhando em áreas específicas em todo o Estado. “Na nossa gestão, acabamos de vez com figura do comissionado ‘fantasma’, que no governo passado recebia altos salários e não aparecia para trabalhar. Isso era tão grave, que apenas de salários aos cargos comissionados em 2010 foram pagos R$ 5.158.212,57 enquanto em 2011 esses valores foram reduzidos para apenas R$ 1.366.928,00″, concluiu o presidente da Cagepa.

DA SECOM-PB