PL que garante reconstrução da mama na cirurgia da retirada já pode ser votado

Como membro da Comissão de Assuntos Sociais (CAS),  o senador Vital do Rêgo (PMDB-PB) relata que está pronto para ser analisado pela comissão o Projeto de Lei do Senado (PLS 43/2012) que trata da técnica de reconstrução imediata da mama por meio de cirurgia plástica reparadora logo após a intervenção cirúrgica oncológica.

Para Vital o projeto de autoria da senadora Vanessa Grazziotin (PCdoB-AM) onde estabelece que a cirurgia reparadora seja feita em ambas as mamas se for o caso, garantindo simetria e reconstrução de aréolas e mamilos é uma redenção para milhões de mulheres brasileiras com mamas mutiladas em decorrência de tratamento de câncer. “O direito à cirurgia de reconstrução já é garantido, em virtude da Lei 9.797/1999. Entretanto, as filas de espera nos hospitais públicos para a realização do procedimento podem durar até cinco anos depois da cirurgia para retirada do câncer de mama A falta de uma mama é muito difícil de ser aceita por uma mulher para que ela se sinta completa. Com a mama dela de volta, ela recupera completamente a vida dela a antes do câncer porque já não tem aquela sequela, não tem aquele estigma.” O PLS pode ser votado em decisão terminativa.

Vital explica que a Sociedade Brasileira de Mastologia recomenda o procedimento de imediata reconstrução da mama. No entanto, a cirurgia reparadora não vem sendo feita de forma frequente. Dados do Instituto Nacional de Câncer (INCA) e da Sociedade Brasileira de Mastologia revelam que menos de 10% das pacientes que passam pela cirurgia de retirada das mamas saem dos centros cirúrgicos com a plástica reparadora.

De acordo com Vanessa Grazziotin, o projeto está de acordo com procedimentos recomendados pela Sociedade Brasileira de Mastologia, que indica a imediata reconstrução da mama. “O problema atinge especialmente as mulheres pobres, dependentes dos serviços de saúde públicos, o que revela uma face inaceitável da desigualdade social marcante de nosso país.”  

Assessoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *