OPERAÇÃO ANDAIME – Prefeita do sertão da Paraíba é afastada

A prefeita de Joca Claudino, no Sertão Paraibano, Lucrécia Adriana (PDT), foi afastada do cargo na manhã desta quarta-feira (20), alvo de investigações nos desdobramentos da 3ª fase da operação Andaime, deflagrada em fevereiro deste ano. De acordo com a Controladoria-Geral da União (CGU), o Ministério Público Federal pediu o apoio da Polícia Federal (PF) para o cumprimento de sete buscas de apreensões de documentos em três cidades do Sertão: Sousa, Joca Claudino e Bernardino Batista.

Ainda conforme a CGU, as buscas não se tratam de uma nova fase da operação, e sim um desdobramento que tem o objetivo de buscar documentos que possam ajudar nas investigações e verificar possíveis recursos desviados que possam voltar aos cofres públicos. Nesse desdobramento não há pedido de prisão coercitiva nem de prisão preventiva, apenas buscas de documentos.

A operação Andaime foi deflagrada em 26 de junho de 2015 e cumpriu três mandados de prisão preventiva, sete de prisão temporária, quatro de condução coercitiva, 18 de busca e apreensão e 15 medidas de sequestro de bens. A segunda fase da operação foi em dezembro de 2015, quando dois empresários foram presos e duas pessoas conduzidas coercitivamente para prestarem depoimento.

Já na 3ª fase da operação, deflagrada em 18 de fevereiro desse ano, a prefeita de Monte Horebe, Cláudia Dias (PSB) foi afastada, mas já retornou ao cargo. A operação Andaime investiga desvios de verbas e irregularidades em licitações de obras públicas em cidades do Sertão. O MPF estima que os danos aos cofres públicos já ultrapassem os 18 milhões de reais.

O procurador jurídico de Joca Claudino, Herleson Almeida, informou que tinha conhecimento de buscas na casa da prefeita, mas não sabia do afastamento de Lucrécia.