Nova vitória de Beto Pirulito revolta estudantes que suspeitam de fraude

Confusão, revolta, briga generalizada e muita falta de organização. Este foi o cenário da última eleição para o Diretório Central dos Estudantes (DCE) do Centro Universitário de João Pessoa (Unipê), ocorrida no dia 29 de outubro. O resultado do pleito, que apontou um novo mandato de dois anos para o estudante de Ciências Contábeis, Beto Pirulito, causou estranheza em vários alunos da instituição que suspeitaram de fraude. Devido aos fortes indícios de irregularidades, o juiz de Direito convocado, Aluízio Bezerra Filho, determinou a suspensão imediata do processo eleitoral.

A “Chapa 1 – Pra Seguir em Frente”, que tem Pirulito à frente, venceu o pleito com mais de mil votos de diferença. Em segundo lugar, ficou a “Chapa 2 – Inovar para mudar”, de oposição, que tinha as estudantes Bárbara Palitot e Maria Alencar como presidente e vice, respectivamente.

À frente do DCE há cerca de 10 anos, Beto Pirulito foi eleito para o sexto mandato consecutivo. A falta de alternância no poder e a má organização do pleito eleitoral, que ocorre sob a responsabilidade do próprio diretório, é o que mais tem revoltado os estudantes. “Não é possível lançar um edital de convocação para as eleições praticamente às vésperas de realizar as eleições. Não tem como aceitar um absurdo desses”, comentou uma estudante de Direito, que preferiu não se identificar.

Outra estudante do nono período de Direito, que também preferiu não citar o nome nesta matéria, comentou que a eleição foi mal organizada e que a urna de lona, com os votos, era transportada pelos próprios integrantes da chapa de Beto Pirulito. Além disso, ela acusa o candidato de levar seguranças particulares para dentro do Campus, o que é proibido pela reitoria.

“É sabido que houve confusão no pleito e que existem fortes indícios de fraude em todo o processo. Eu mesmo fiquei sem votar, pois, a urna não chegou até a minha sala. Além disso, o grito de ‘Fora Pirulito’ ecoou em todos os departamentos do Campus e mesmo assim ele ganhou e por uma margem alta de votos. Quer dizer, é no mínimo estranho”, comentou.

Até uma briga no interior do Campus foi registrada durante a realização da eleição para o DCE. A confusão chegou até as redes sociais. No site You Tube, um vídeo intitulado “Beto Pirulito arma mais uma farsa” ( http://www.youtube.com/watch?v=vlFa1EkkWi4&feature=youtu.be ) mostra uma manifestação dos estudantes contrários à reeleição do atual presidente.

Processo eleitoral suspenso

Na última quarta-feira (31), o relator e juiz de Direito convocado, Aluízio Bezerra Filho, determinou a suspensão do processo eleitoral para o DCE do Unipê. Segundo o magistrado, o edital de convocação do pleito foi lavrado no dia 22 de outubro, ou seja, apenas sete dias antes da realização das eleições.

“Ora, se a inscrição de chapa só pode ser feita até 10 (dez) dias antes da eleição, concluiu-se, a princípio, que o Edital do certame em questão, que teve sua publicação apenas 07 (sete) dias antes da eleição, fere o estatuto do DCE”, diz trecho da decisão do magistrado.

De acordo com o artigo 45 do Estatuto do DCE do Unipê, “o período de inscrição da chapa irá da posse da comissão eleitoral até 10 (dez) dias antes do início da eleição”.

Unipê cobra transparência do processo eleitoral

A reitoria do Unipê emitiu nota de esclarecimento alegando que a eleição do Diretório Acadêmico é um processo independente e que a instituição apenas cobra transparência na realização do referido pleito.

“O DCE do Unipê é livre, assim como todo e qualquer diretório estudantil. Independência é uma reivindicação e conquista dos estudantes. Somos contra qualquer ato que vandalize o processo. Estamos do lado da transparência dos fatos”, diz a nota.

Assessoria

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *