CIDADE FM 104,9

PF de Lula diz que Adélio Bispo agiu só ao esfaquear Bolsonaro.

Corporação concluiu 3º inquérito que não identifica co-autores no atentado ao então candidato a presidente, em setembro de 2018.

A PF (Policia Federal) voltou a concluir que Adélio Bispo, autor da facada contra o então candidato a presidente Jair Bolsonaro (PL) em 2018, agiu sozinho e sem mandantes. A informação foi dada nesta 3ª feira (11.jun.2024) pelo diretor-geral da PF, Andrei Rodrigues, em café com jornalistas. Foi o 3º inquérito envolvendo o atentado. O 1º, instaurado em setembro de 2018, também concluiu que Adélio agiu por iniciativa própria. Uma nova investigação com a mesma conclusão foi encerrada em maio de 2020. Depois da operação deflagrada nesta 3ª feira (11.jun), a PF pediu o arquivamento das investigaçõ.

O tema foi alvo de frequentes críticas de filhos e apoiadores de Bolsonaro, que questionavam quem seriam os mandantes do crime cometido em Juiz de Fora (MG). O vereador do Rio Carlos Bolsonaro (PL) é alvo de uma queixa-crime por associar Adélio ao ex-deputado Jean Willys, do Psol. Carlos havia dito que uma testemunha teria visto o autor da facada no gabinete do então deputado, sem apresentar provas. Andrei Rodrigues assumiu o cargo de diretor-geral da PF em 10 de janeiro 2023. Antes, trabalhou como chefe da segurança do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) durante a campanha eleitoral de…

RELEMBRE O ATENTADO Então candidato à Presidência pelo PSL (hoje, União Brasil depois da fusão com o Democratas), Jair Bolsonaro foi golpeado com uma faca enquanto cumpria agenda de campanha em Juiz de Fora (MG), em 6 de setembro de 2018. O autor do golpe, Adelio Bispo de Oliveira, é natural de Montes Claros (MG). Ele foi preso em flagrante e confessou o crime….

Em junho de 2019, Adélio Bispo foi absolvido. A decisão foi proferida após o processo criminal que o considerou inimputável por transtorno mental. Em fevereiro deste ano, depois de cumprir medida em segurança presídio federal de Campo Grande, o TRF-5 (Tribunal Regional Federal da 5ª Região) determinou que ele retornasse a Minas Gerais, local de origem do processo.

Após a publicação desta reportagem, a Secom enviou uma nota oficial. “Não existe ‘PF de Lula’. A corporação não pertence ao presidente, não há ingerência da Presidência em investigações. A Polícia Federal atua como órgão autônomo e independente. Seus membros ingressam no órgão por concurso, seguem carreira de Estado. Os delegados assinam os relatórios. “Cabe lembrar que ainda 2020, durante a gestão passada, a Polícia Federal já havia concluído que Adélio Bispo de Oliveira havia agido sozinho. O Poder360 não apresenta nenhuma evidência contrária ao relatório da PF.

“Secom”.