Mais de 20 casos de irregularidades são registrados pelo Boletim das Eleições do TRE-PB

No terceiro boletim parcial das ocorrências registradas pelo Centro de Comando e Controle das Eleições 2018, divulgado pelo Tribunal Regional Eleitoral da Paraíba (TRE-PB) foram identificadas mais de 10 ocorrências nas cidades de Monteiro, Juarez Távora, Cajazeiras, João Pessoa, Patos, Caaporã e Mamanguape.

Dentre os crimes com mais destaque estão o de corrupção eleitoral com a compra de votos, e a divulgação irregular de de propaganda.

Em João Pessoa, foi detido na madrugada deste domingo, por volta de 1h, um homem foi detido com R$ 14 mil em dinheiro e santinhos de um candidato a deputado estadual, no bairro São José, em João Pessoa. A detenção foi realizada pela Polícia Militar que encaminhou o suspeito para a Polícia Federal, onde prestou depoimento e foi liberado. A Polícia Federal vai instaurar inquérito para encaminhar para a Justiça Eleitoral.

Outro caso foi registrado no Bairro dos Populares. Um suspeito que estava em uma motocicleta junto com mais duas pessoas foram encontrados com santinhos de candidatos e a quantia de R$ 200,00. Os suspeitos foram conduzidos até a delegacia da polícia civil para prestarem esclarecimentos.

Outra ocorrência foi identificada após um aglomerado de pessoas em frente a casa de um deputado, na cidade de Patos, mas que rapidamente foi dispersada pela polícia.

As demais ocorrências registraram um caso de desacato em que um funcionário de uma escola particular em João Pessoa foi detido por desobedecer uma determinação para ligar um aparelho de ar condicionado, no prédio da instituição. A Polícia Militar atendeu ao chamado da juíza eleitoral e encaminhou o homem até o Fórum Eleitoral.

Em Cajazeiras, um grupo que comprava bebida alcoólica em um bar foi abordado pela Polícia Militar. Os policiais recolheram o litro de cachaça e dispersaram as pessoas abordadas no local.

Em Monteiro, um homem foi preso por desacato a autoridade e resistência à prisão após os policiais realizarem abordagem por denúncia de compra e venda de votos. O homem abordado negou ser dono da casa onde o grupo estava e se exaltou com a equipe, segundo narra a PM. Sobre a denúncia de crime eleitoral, nada foi constatado.

A PM ainda dispersou pessoas que se reuniram na casa de um morador que conduziria o grupo para votar em Cachoeira dos Índios.