Jornalista da capital do Estado destaca ação de deputado cajazeirense; ¨É um modelo a seguir¨

A jornalista Lena Guimarães, do Jornal Correio da Paraíba, na capital do Estado, destacou nessa segunda-feira (11), a atuação do deputado cajazeirense, José Aldemir (PEN), que luta para instalar no município sertanejo uma delegacia de Polícia Federal e outra da Polícia Civil, especializada em tóxicos e entorpecentes.

De acordo com a jornalista, o modelo de atuação do cajazeirense deveria ser acompanhado pelos demais parlamentares, pois as drogas não destroem apenas o usuário, mas toda sua família.

“A ideia de José Aldemir é interessante e deveria ser emplacada pelos demais parlamentares, prefeitos, vereadores, padres, pastores, empresários, enfim, por todos os seguimentos da sociedade” Destacou Lena

Entenda o caso
Preocupado com o poder avassalador das drogas, há dois anos o deputado estadual José Aldemir (PEN) luta para que sejam instaladas na cidade de Cajazeiras, Sertão paraibano, uma delegacia de Polícia Federal e outra da Polícia Civil, especializada em tóxicos e entorpecentes.

A luta para a instalação das delegacias no município sertanejo começou após José Aldemir ouvir em audiência pública na Câmara Municipal de Cajazeiras os anseios da população. “Manifestei meu incondicional engajamento e já solicitei ao ministro da Justiça e ao presidente da Assembléia Legislativa as instalações de tais delegacias, fundamentais naquele município, pela estratégica localização fronteiriça com os estados do Ceará, Pernambuco e Rio Grande do Norte”, explicou o parlamentar.

José Aldemir lembra ainda que as drogas afetam, sobretudo, a juventude brasileira. “Nossa juventude é a grande contaminada por esse maléfico que debilita as forças físicas e psíquicas, mina a saúde pela degeneração compassada dos órgãos, pela absoluta ausência de qualquer outro interesse se não o uso costumeiro e compulsivo de tão difícil e polêmica Libertação”, disse.

O parlamentar explica ainda que “é visível que estamos perdendo a guerra com essas forças hediondas e avassaladoras drogas”.

 

DIARIO DO SERTÃO