Infância roubada: Na PB, mais de 6,8 mil meninas entre 10 e 19 anos engravidaram este ano

Infância roubada esse é o retrato para mais de 6,8 mil crianças e adolescentes entre 10 e 19 anos que engravidaram este ano na Paraíba, segundo dados da Secretaria de Estado da Saúde (SES). Além de pular etapas do desenvolvimento físico e psicológico, a gravidez precoce muitas vezes obriga essas “meninas- mães” a abandonar estudos e atividades típicas da idade. Além das dificuldades na efetiva aplicação de políticas públicas, essa situação está relacionada ao conservadorismo de muitas famílias, segundo defende sociólogo.

“Não estava preparada, acho que não tem quem diga que está preparada para ser mãe com essa idade”. A afirmação é da empresária Tayanne Soares Lins, que engravidou aos 14 anos e deu à luz aos 15. Tayanne contou que engravidou na primeira relação sexual e não havia tomado nenhuma precaução para evitar a gestação.

“A gente nunca acha que vai acontecer com a gente”, contou. Apesar de o pai ter registrado oficialmente a criança, ela contou que ele não assumiu a responsabilidade. No entanto, quando o bebê tinha três meses, Tayanne começou a se relacionar com outro rapaz que passou a fazer o papel de pai do menino. Para ela, essa ajuda foi fundamental.

A funcionária pública Cristian Kelly da Silva Oliveira foi mãe aos 16 anos. “Com essa idade a gente não está preparada, mas minha mãe me deu todo apoio na época, ela me ajudou muito”, contou ela, acrescentando que a mãe praticamente criou a criança, o que a permitiu continuar estudando.


Redação 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *