Guia eleitoral de Cajazeiras é marcado por ataques entre Rafael e Carlos Antonio; PSOL dispara: “Um é sujo e o outro é mal lavado”

O Horário gratuito da propaganda eleitoral dos candidatos a prefeito de Cajazeiras desta sexta-feira (14), continua com agressões, ataques pessoais aos próprios postulantes e até aos aliados.

O candidato Carlos Gildemar (PSOL), agradeceu as manifestações positivas da população acerca da sua participação no debate, ocorrido nessa terça-feira (11) e criticou seus adversários taxando-os de prepotentes.

Gildemar ignorou as agressões verbais mútuas entre Carlos Rafael (PTB) e Carlos Antonio (DEM), quando o evento deveria ser a discussão dos projetos para o município.

“Eles demonstram total falta de respeito pela população, que não pode escolher ente um sujo e um mal lavado”. Disparou o candidato do PSOL

O candidato do democrata declarou que a atual gestão abandonou o comércio de Cajazeiras, pois, as compras da prefeitura são realizadas em outros estados e quando compraram no município não pagaram.

“Quatro anos se passaram e nada fizeram. Procurem com uma lupa para ver se encontram, não existe nada realizado na cidade. Eles apenas enriqueceram e a meia dúzia de apaninguados”. Acusou o democrata

Carlos Antonio afirmou que em seu Governo haverá concurso público, além de ser implantado o programa “Habilitação Social Municipal”, onde as pessoas carentes poderão tirar carteiras de habilitação gratuita.

No guia de Carlos Antonio, A Procuradora do Município, o Assessor Jurídico e o vice-prefeito foram citados como pessoas que respondem processos judiciais.

Já o candidato Carlos Rafael confessou que faz um programa voltado para discutir propostas, mas seu principal adversário insiste em ataques pessoais

“Todos sabem que recebi a prefeitura em um momento difícil, pois, não podemos receber recursos federais devido as pendências deixadas pelo candidato a candidato, o ‘Ficha Suja’”. Criticou o petebista

Rafael acrescentou que fama de caloteiro quem tem é o democrata, pois deixou de pagar os servidores públicos, a Cagepa e a Energisa.

“Fama de caloteiro é aquele que deixou de pagar a folha dos servidores. Esse dinheiro não chegou aos cofres públicos, mas foi para algum lugar”. Assegurou Rafael

O guia do petebista comentou também acerca do debate, afirmando ter sido “o vencedor”, além de enfatizar a problemática do programa do “Leite da Paraíba”, que era coordenado pela esposa de Carlos Antonio, Denise Oliveira, que passa por investigação na Polícia Federal.

 

DIARIO DO SERTÃO