Governo corta oito ministérios, 30 secretarias e três mil cargos comissionados

A presidente Dilma Rousseff (PT) anunciou na manhã nesta sexta-feira (2) a reforma ministerial. A presidente extinguiu oito ministérios, 30 secretarias da Esplanada dos Ministérios e cortou também cerca de 3.000 cargos comissionados.

Conheça os novos ministro do governo

Os oitos ministérios cortados estão abaixo da meta original proposta no mês passado que eram de dez. A mudança aconteceu para atender os partidos aliados, principalmente o PMDB. Além dos cortes das pastas, a presidente reduziu 10% dos salários dos ministros.

A reforma ampliou o espaço do PMDB, de seis para sete ministérios. O deputado federal da Paraíba Manoel Júnior (PMDB) que era cotado para assumir a Saúde ficou de fora da reforma ministerial. O novo ministro anunciado pela presidente é do deputado Manoel Castro (PMDB-PI).

O corte foi em dez pasta, mas duas novas foram criadas da fusão de pastas e secretarias com status de ministério.O governo passa agora a ter 31 ministérios. Antes eram 39.

O objetivo da redução é o governo conseguir diminuir os gastos e tentar equilibrar as contas públicas, mas especialistas apontam que a economia com a reforma não é significativa.

O cálculo do governo é que a reestruturação das pastas vai gerar uma economia de R$ 200 milhões por ano. O ajuste proposto para 2016 envolve um esforço fiscal de R$ 64,9 bilhões, entre corte de gastos e aumento de arrecadação.