Gobira cobra promessa de campanha do prefeito de Cajazeiras, denuncia fechamento de escola, diz que gestão está amarrada e dispara: “Povo está arrependido de votar em Zé Aldemir”

Por Luzia de Sousa

05/06/2017 às 12h23 • atualizado em 05/06/2017 às 12h25

O ex-candidato a prefeito de Cajazeiras, o sapateiro Antonio Gobira, em entrevista a TV Diário do Sertão nessa sexta-feira (2), cobrou o funcionamento dos PSF´s de Cajazeiras no período noturno, que seria promessa de campanha de Zé Aldemir (PP). Ele também cobrou a disponibilidade de medicamentos na farmácia básica para a “população não sair dos postos de saúde com receita na mão mendigando remédios”.

De acordo com o sapateiro, os eleitores estão arrependidos de terem elegido Zé Aldemir prefeito de Cajazeiras. “O que escuto é que a preço de hoje o prefeito seria Gobira”, declarou o ex-candidato, que aproveitou para dá mais uma alfinetada na atual gestão municipal: “Está aí a Secretaria de Cultura que ninguém quer assumir”.

Ele declarou também que a maioria dos secretários é da gestão da ex-prefeita Denise Albuquerque (PSB). “Não teve renovação. Renovação seria com Gobira para dá uma levantada nesta cidade”.

Denúncia
Gobira denunciou que a Banda de Música está fechada mesmo após grande reforma. “Seis meses que está fechada. Prefeito está na hora de começar”.

O sapateiro revelou que chegou a levar a problemática para o atual secretário executivo da cultura, o professor Chagas Amaro que teria afirmado que nada poderia fazer. “Falta autonomia aos secretários. A gestão está amarrada”.

Futuro
Desfiliado do PSOL, Gobira disse ter recebido vários convites de outras legendas, mas ainda não decidiu qual sigla se filiará, entretanto adiantou que mais uma vez disputará uma vaga na Câmara Federal. “Sou pré-candidato a deputado federal”.

Derrota
A nanica votação para prefeito de Cajazeiras, chegando a pouco mais de mil votos ele atribuiu a “falta de dinheiro”, e alegou que seus dois opositores estavam com “muito dinheiro” na campanha eleitoral.

DIÁRIO DO SERTÃO