CIDADE FM 104,9

Reveja as maiores polêmicas do VAR no Brasileirão, Copa do Brasil e Libertadores

Entre erros e acertos, a utilização do VAR no Brasil fechou seu quarto ano. A tecnologia, que veio para contribuir com a diminuição dos erros de arbitragem, terminou o ano de 2022 ainda com muitas críticas. Dessa forma, com todas as competições de clubes no Brasil encerradas, listamos alguns das maiores polêmicas da arbitragem na qual o VAR também foi o “vilão” da história.

Brasileirão

Avaí x Flamengo

Goiás x Corinthians

Gol do Corinthians foi anulado pelo árbitro da partida e após revisão do VAR a decisão de campo foi mantida. Erro que custou a vitória ao Corinthians

Corinthians x São Paulo

No clássico Majestoso, Renato Augusto toca com a mão na bola dentro da área. Apesar de parecer sem intenção, a regra diz que este tipo de toque é pênalti. O Tricolor Paulista não teve penalidade marcada ao seu favor.

Fluminense x Santos

Zagueiro Nino, do Fluminense, em nenhum momento toca na bola. Pênalti claro para o Santos não marcado.

Flamengo x Atlético-MG

Em disputa dentro da área, a bola pega no braço de Matheuzinho. De acordo com a nova regra, a penalidade deveria ter sido marcada para o Galo.

Red Bull Brangatino x Goiás

Jogador do Massa Bruta praticamente domina a bola com a mão. Penalidade não marcada em favor do Goiás.

 

Corinthians x Atlético-GO

 

 

Lateral Fagner claramente agride jogador do Dragão. O árbitro da partida sequer foi chamado pelo VAR para analisar o lance.

 

O clube que encerrou o Campeonato Brasileiro com o maior saldo entre lances contra e a favor foi o campeão Palmeiras, na sequência têm Internacional e Botafogo. Já o que somou o pior saldo foi o Coritiba.

  • Internacional – 21 lances (9 contra e 12 a favor)
  • Botafogo – 20 lances (8 contra e 12 a favor)
  • Red Bull Bragantino – 21 lances (11 contra e 10 a favor)
  • Avaí – 20 lances (10 contra e 10 a favor)
  • Ceará – 20 lances (9 contra e 11 a favor)
  • América-MG – 19 lances (11 contra e 8 a favor)
  • Goiás – 18 lances (10 contra e oito a favor)
  • Atlético-GO – 18 lances (9 contra e 9 a favor)
  • Cuiabá – 18 lances (10 contra e sete a favor)
  • Santos – 17 lances (10 contra e 7 a favor)
  • Fluminense – 17 lances (7 contra e 10 a favor)
  • São Paulo – 17 lances (8 contra e 9 a favor)
  • Coritiba – 17 lances (12 contra e 5 a favor)
  • Fortaleza – 16 lances (6 contra e 10 a favor)
  • Juventude – 16 lances (11 contra e 6 a favor)
  • Palmeiras – 15 lances (4 contra e 11 a favor)
  • Athletico-PR – 14 lances (6 contra e 8 a favor)
  • Flamengo – 13 lances (5 contra e 8 a favor)
  • Atlético-MG – 13 lances (9 contra e 4 a favor)
  • Corinthians – 10 lances (4 contra e 6 a favor)

Copa do Brasil

Fernando Torres/CBF

Palmeiras x São Paulo

Logo na sequência de um pênalti perdido pelo Palmeiras, o São Paulo armou contra-ataque e o árbitro da partida marcou pênalti para o Tricolor. O problema é que o VAR checou somente o lance e esqueceu de verificar a posição de impedimento do camisa 9. Posteriormente, a CBF também admitiu o erro.

Corinthians x Flamengo

O lance mais decisivo do VAR talvez tenha sido a não marcação de um pênalti para o Corinthians na primeira partida da final da Copa do Brasil. Após reclamação da equipe paulista, a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) admitiu o erro.

Copa Libertadores

Palmeiras x Athletico-PR

Com uma vitória em Curitiba por 1 a 0 e um 2 a 2 em São Paulo, o Athletico-PR conseguiu eliminar o Palmeiras na semifinal da Libertadores. No entanto, o lado palmeirense não se esquece de alguns lances que poderiam ter mudado a história da partida.

Estudiantes x Athletico-PR

O confronto entre Furacão e Palmeiras poderia não ter acontecido, caso um gol da equipe argentina não fosse anulado. Após receber chamado do VAR, o árbitro da partida foi rever o lance e entende que um dos jogadores do Esturdiantes em impedimento atrapalhou o goleiro no lance.