Cagepa nega que haja plano de privatização e diz que vai cortar “benefícios indevidos”

O presidente da Companhia de Água e Esgoto da Paraíba (Cagepa), Marcus Vinícius, disse nesta quarta-feira (3) que não existem planos do Estado para privatização da estatal, mas que a companhia analisa corte de benefícios considerados “indevidos” a alguns servidores. A privatização foi abordada por servidores do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Urbanas da Paraíba (STIUPB), que negociam reajuste salarial e ameaçam entrar em greve.

De acordo com Marcus Vinícius, a Cagepa enfrenta dificuldades para negociar o reajuste salarial com o sindicato que representa os servidores do interior do estado, já que os servidores da Região Metropolitana de João Pessoa aceitaram a proposta de reajuste salarial de 9,83%.

Leia mais Notícias no Portal Correio

“Existem dois sindicatos representativos dos servidores. Com o pessoal da Capital, conseguimos chegar a um bom termo, que é a reposição da inflação nos tickets de alimentação, salário, gratificações e outros itens, isso dividido em quatro parcelas e com retroativo. Porém, o pessoal do interior não aceitou a proposta e alega que a empresa quer impor perdas aos trabalhadores”, disse o presidente da Cagepa.

Segundo o presidente da companhia, o sindicato que representa os servidores do interior levantou de maneira equivocada uma possível ideia de privatização da Cagepa e não estaria disposto a discutir mudanças em benefícios considerados ‘incabíveis’ para os servidores.

“O que falei ao sindicato foi que a nova lei das estatais prevê novas linhas de governança, até com a privatização de parte das empresas públicas. Eles utilizaram isso equivocadamente para dizer que o Estado quer a privatização. O que entendemos é que é possível uma empresa ser eficiente, sólida e prestar um bom serviço sendo totalmente pública. A companhia é indispensável para a Paraíba. Agora, eles não querem discutir uma série de benefícios indevidos que entendemos que não são mais cabíveis dentro de uma empresa que precisa voltar a se estruturar como a Cagepa. Isso dificulta a negociação e não vamos fazer o que o sindicato quer”, disse Marcus Vinícius.

Servidores podem entrar em greve

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias Urbanas da Paraíba (STIUPB), uma nova mesa de negociações entre os servidores e a Cagepa vai ser realizada nesta quinta-feira (4).

Uma assembleia da categoria está marcada para ocorrer ao término da mesa redonda e caso a companhia e o sindicato não consigam chegar a um acordo, os servidores podem decidir sobre uma agenda de paralisações ou o início de uma greve por tempo indeterminado.

“A categoria está mobilizada em todo o Estado, e caso não haja avanço na negociação, vamos fazer paralisação ou até mesmo entrar em greve por tempo indeterminado” afirmou Adriano Teixeira, presidente em exercício do STIUPB.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *