Empresário do Sertão era sócio de quadrilha do bicheiro Cachoeira; PF disse que ele é o mais violento do grupo

O empresário José Olímpio Queiroga Neto, de 49 anos de idade, natural da cidade de Pombal é um dos principais nomes suspeitos no inquérito da Polícia Federal na operação “Monte Carlo”, que desbaratou a quadrilha comandada pelo bicheiro Carlinhos Cachoeira, com influência junto a políticos, policiais e jornalistas.

Conforme informações constantes no inquérito, Olímpio era dono de uma espécie de franquia que explorava o jogo no entorno do Distrito Federal, com o uso de máquinas caça níqueis e parte do lucro era dividido com Cachoeira.

Em um dos trechos do inquérito, o policial federal que investiga o caso faz a seguinte anotação: “… a periculosidade de Olímpio representada pela propensão à violência e forte intento de permanecer no mundo do crime é notada pelas quatro armas registradas,…, como também pela existência de nada menos que dez registros policiais na Rede Infoseg, entre os quais prática de homicídio”, diz o inquérito.

Para a Polícia Federal, Cachoeira, Olímpio e Lenine (considerado o segundo homem da quadrilha) eram o núcleo da organização criminosa que tinha como suposto aliado o senador, Demóstenes Torres (DEM).