Dono de boate diz que vai processar segurança após agressão a cantor

O dono da boate em Copacabana, na Zona Sul do Rio de Janeiro, onde o cantor David Alvarez foi agredido, disse que pretende processar a empresa de segurança que foi contratada pela casa noturna. O cantor que inspirou o ator Marcelo Serrado a compor o personagem Crô, da novela “Fina estampa”, disse que o agressor é um dos seguranças da boate.

“Nós vamos procurar os nossos advogados junto com os advogados dele e em conjunto vamos entrar contra essa empresa, pois nós também estamos sendo lesados. Nós contratamos a segurança para nos proteger, e não para nos agredir”, disse Cabret Araújo ao Bom Dia Rio. O empresário disse que viu as imagens da câmera do circuito interno e confirmou que houve a agressão. Ele também afirmou que vai prestar assistência ao cantor.

 

A agressão ocorreu por volta de 5h30. Alvarez estava com amigos fumando em uma área proibida. Segundo o cantor, um homem que fazia a segurança do local o abordou pedindo para apagar o cigarro e, em seguida, começou a agredi-lo.

“As 5h, quando de forma informal as pessoas já estão fumando, mesmo sendo proibido. O segurança veio até mim e me abordou, disse que não poderia fumar. Enquanto apagava o cigarro, já começou a sequência de socos”, disse David Alvarez.

Após a agressão, David Alvarez foi colocado para fora da boate pelo próprio segurança. Ele contou que foi socorrido pelos amigos e que policiais militares que foram chamados o levaram para a delegacia sem o segurança.

O cantor informou que foi atendido no Hospital Copa D’Or, também na Zona Sul. Alvarez postou fotos no twitter com ferimentos nos olhos e vários hematomas.

“Sou cantor e trabalho com a minha imagem, então isso repercute de uma forma negativa. Mas a gente tem que falar, tem que expor para que isso não aconteça com outras pessoas”, desabafou o cantor.

Na madrugada desta quarta-feira (2), a boate estava fechada. O caso foi registrado na delegacia, mas o delegado não quis falar sobre as investigações.

G1