Do Uruguai ao Hospital Militar: a saga de Loco em mais uma conquista Herói da vitória sobre o Vasco, com dois gols, atacante faz as honras

A viagem para o Uruguai depois da vitória sobre o Bangu na semifinal, quando marcou três gols e levou uma das bolas do jogo para o pai, Washington Miguel, foi apenas o início da saga de Loco Abreu até a conquista da Taça Rio, neste domingo. Com mais dois gols, o uruguaio chegou a 11 no Campeonato Carioca, viu seu time vencer o Vasco por 3 a 1 e celebrou o fim do jogo de um jeito diferente, fazendo as honras aos companheiros, funcionários e torcedores.

 

Numa semana intensa, às vésperas da primeira final do Botafogo no Engenhão, Loco Abreu teve a companhia do pai. Nos treinamentos do time, Washington Miguel foi presença constante, com a garrafa de chimarrão como companheira inseparável. Os dois fizeram visitas a hospitais do Rio de Janeiro, entre eles, o Militar, que rendeu a comemoração do primeiro gol, quando o atacante bateu continência em direção aos torcedores.

– Fomos fazer uma visita aos doentes. Por isso, ele fez aquilo. Uma das visitas foi ao Hospital Militar. Estou muito feliz. Acho que dei sorte – afirmou Washington Miguel, que assistiu ao jogo da Tribuna de Honra com outros parentes de jogadores e, segundo Loco, havia previsto os três gols na semifinal contra o Bangu.

Pai de Loco com os netos Valentina, Franco, Facundo e Diego (Foto: Thales Soares / Globoesporte.com)

No fim do jogo, Loco Abreu recebeu os funcionários e integrantes da comissão técnica, um a um, no cerco preparado para o pódio. O uruguaio foi o último a ganhar a medalha pela conquista e se recusou a responder perguntas, exigindo que as pessoas a seu redor valorizassem os outros jogadores e a festa da torcida na arquibancada. Lembrou até de quem já deixou o clube.

Capitão do time, ele levantou a sua quarta taça como jogador do Botafogo. Toda a família estava satisfeita. Os quatro filhos, Valentina, Diego e os gêmeos Franco e Facundo, foram ao estádio para acompanhar mais um sucesso do seu pai.

Depois da festa no gramado, Loco ficou como guardião do troféu. Chegou com o objeto de desejo à festa dos jogadores numa churrascaria no Recreio dos Bandeirantes, bairro da Zona Oeste do Rio, e depois postou em seu Facebook uma foto onde aparece ao lado de sua mulher e filhos atrás da Taça Rio, com a seguinte legenda: “Abreu em casa, com a Taça e a família!”.

Agora, faltam os dois jogos com o Fluminense para talvez celebrar o título estadual e, quem sabe, a artilharia da competição. Loco está apenas um gol atrás de Somália e Alecsandro, que não atuam mais na competição.

– O time está muito bem, tem uma mentalidade, uma sequência de trabalho, somos campeões invictos. Meu pai dá sorte e acredita no filho. Não quero esquecer do Alessandro (lateral-direito), que está na cidade dele, o título também é para ele. Também para o Hospital Militar. Fui lá visitar. Lá tem muito botafoguense – comentou Loco, em entrevista ao PFC.

Globoesporte.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *