CPI DA LAGOA: Hervázio rechaça tese de ‘perseguição’ de Cartaxo e lembra que denúncia partiu da CGU

O deputado estadual Hervázio Bezerra, líder da base governista na Assembleia Legislativa da Paraíba, comentou sobre o pedido da bancada de oposição na Câmara Municipal de João Pessoa que deve apresentar hoje um novo pedido de instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar os indícios de irregularidades nas obras da Lagoa.


Segundo Hervázio, não procede as críticas do prefeito Luciano Cartaxo (PSD) de que sua honra estaria sendo atacada pelos vereadores de oposição, pois quem acusa de erros a obra é a Controladoria Geral da União (CGU) num amplo relatório.






“A CGU questiona o projeto básico, ao processo licitatório ao processo de operação da obra. Eles vão questionando ponto a ponto, analisando as defesas que foram apresentadas da prefeitura. Ontem eu tive a oportunidade de fazer uma leitura do relatório que no meu ver é muito forte e contundente e creio que o prefeito vai ter muito trabalho na elaboração da sua defesa”, disse Hervázio rebatendo as insinuações do prefeito que tenta culpar os vereadores de oposição pela divulgação das denúncias.

Entenda o caso – A bancada de oposição na Câmara Municipal de João Pessoa deve apresentar hoje um novo pedido de instalação da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para investigar os indícios de irregularidades nas obras da Lagoa. Segundo líder da banca, o vereador Bruno Farias (PPS), o requerimento já contava com oito assinaturas dos vereadores da oposição, faltando apenas uma para que pedido possa ser apresentado na Casa de Napoleão Laureano.


De acordo com Bruno Farias, a Câmara não pode “fazer ouvidos de mercador” para os fatos que vieram à tona recentemente, por meio da operação deflagrada pela Polícia Federal, que apresentam indícios de que houve superfaturamento nas obras da Lagoa. Para ele, se a Câmara não investigar o caso, por meio dos meios cabíveis, vai assinar atestado de in competência.



PB Agora

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *