Atentado na Catedral deixa 6 mortos e outros feridos.

Um tiroteio na Catedral Metropolitana, no Centro de Campinas, deixou pelo cinco mortos e quatro feridos no começo da tarde desta terça-feira (11). Entre as vítimas fatais está o suspeito pelos disparos no interior da igreja, de acordo com informações iniciais da Guarda, apuradas pela reportagem do Correio Popular. O suspeito teria entrado na Catedral com uma pistola e um revólver calibre 38. As vítimas não foram identificadas e a polícia investiga a motivação do crime.

“Ele não chegou atirando. Ele estava sentado, parado e quando se levantou começou a atirar nas pessoas”, disse o delegado Hamilton Caviola Filho, do 1º DP de Campinas, responsável pelo policiamento na região.

O crime ocorrido hoje em Campinas com a morte de seis pessoas na Catedral está repercutindo em vários países. Jornais da Argentina, Paraguai, Peru, Chile, Nicaragua, Venezuela, Espanha, França, Itália, Portugal relatam o crime, com base em informações fornecidas por autoridades policiais e médicas.
 
Atualizações:
 
15h13 – Segundo apuração da reportagem, equipes de perícia estão neste momento no local do crime, que está sendo considerado pela Guarda Municipal como atentado;
15h28 – Segundo o secretário municipal de Segurança Pública Luiz Augusto Baggio, o atirador tem cerca de 30 anos e chegou a ser baleado antes do suicídio. “Foi um ato de insabidade total, uma pessoa claramente descontrolada”, disse em entrevista;
15h34 – Já de acordo com o Hospital Municipal Dr. Mário Gatti, uma mulher de 65 anos que foi baleada no tórax e na mão direita se recupera e está de observação. Já um homem de 84 anos, baleado no tórax e no abdômen está neste momento no centro cirúrgico;
15h58 – Segundo o Hospital Municipal Dr. Mário Gatti, Heleno Severo Alves, 84 anos, está passando por cirurgia agora e estado grave e Jandira Prado Monteiro, 65 anos, atingida no tórax e na mão dela está fora de risco;
16h18 – HC Unicamp: Maria de Fátima Frazão Ferreira, de 68 anos, foi levada ao Hospital de Clínicas da Unicamp. Ela foi baleada em uma das pernas. Segundo nota da unidade, a mulher encontra-se em estado estável e ficará em observação por mais algumas horas. Deve ter alta hoje à noite;
16h37 – O outro homem, de 64 anos, que foi atingido por dois tiros de raspão nas duas pernas e que foi socorrido ao Hospital Beneficência Portuguesa, acaba de receber alta e foi liberado. Segundo a assessoria de imprensa, a politica do hospital não permite a divulgação de nomes de nenhum paciente.
Nota da Arquidiocese de Campinas
“Um tiroteio deixou pelo menos cinco pessoas mortas e outras quatro feridas no começo da tarde desta terça-feira (11), dentro da Catedral Metropolitana de Campinas, no Centro da cidade, segundo informações do Corpo de Bombeiros. Ainda não se sabe a motivação. A Catedral segue fechada para atendimento das vítimas e a investigação da Polícia. Assim que dispusermos de mais informações, as disponibilizaremos.Contamos com as orações de todos neste momento de profunda dor”.
Prefeitura de Campinas
A Prefeitura de Campinas, por determinação do prefeito Jonas Donizette, mobilizou prontamente o Samu, a Rede Mário Gatti, a Guarda Municipal e a Emdec para atender às vítimas do ataque ocorrido na Catedral Metropolitana de Campinas. A prioridade no momento é dar total atenção aos feridos e às famílias das vítimas.
As informações até agora são de que um homem, de cerca de 30 anos de idade, entrou na Catedral atirando, por volta das 13h desta terça-feira (11/12). Matou quatro pessoas e se matou.
Há, ainda, quatro feridos. Dois estão no Hospital Municipal Mário Gatti, um no Hospital de Clínicas da Unicamp e outro no hospital Beneficência Portuguesa.
O prefeito Jonas Donizette está estarrecido com o brutal crime e dedica suas orações às vítimas e suas famílias. A Prefeitura de Campinas continuará mobilizada acompanhando os acontecimentos.
Testemunho da jornalista Janete Trevisani (janete@rac.com.br)
“Hora do almoço nas imediações da Catedral, tiros e um corre-corre de mães com crianças, idosas e funcionários de lojas próximas. Sem entender o que se passa, muitas pessoas param em frente a uma ótica e as informações começam a chegar. Um homem comenta que um bandido entrou na igreja e começou a atirar. Uma senhora idosa passa e diz que não conseguiu chegar a tempo de assistir a missa. Parou em uma loja de bijuterias para as compras de Natal e pretendia acender umas velas na igreja, participar da celebração e comungar. “Nem na igreja a gente tem sossego!”, dizia, assustada, agradecida a Deus por não ter entrado minutos antes na Catedral. As lanchonetes próximas ensaiavam fechar as portas, mas a chegada dos carros da polícia acalmou a todos. Em questão de minutos as pessoas se aglomeravam nas ruas Treze de Maio, Glicério e Conceição. Compras de Natal suspensas. Táxis lotados. Muitos voltando para casa, com receio de mais tiros”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *