Após denúncias, prefeito de Cajazeiras emite longo decreto com várias medidas para conter gastos

Por Jocivan Pinheiro

17/10/2017 às 15h36

 

 

Na sessão desta segunda-feira (16) da Câmara Municipal de Cajazeiras, o vereador de oposição Rivelino Martins (PSB) foi à tribuna denunciar o governo municipal por uma série de excessos na folha de servidores, irregularidades e favorecimento a algumas famílias.

Rivelino realizou um levantamento onde teria identificado ‘supersalários’, excessos de contratos por excepcional interesse, de cargos comissionados, de gratificações e nepotismo. Ele afirma ainda que um grupo restrito de famílias seria beneficiado com isso.

“A grande pergunta que fizemos na tribuna da Câmara é por que tanta junção de famílias incluídas em cargos comissionados. Quando se busca resgatar a boa imagem da política, nós identificamos isso na cidade”, disse o vereador. Mas a intenção das denúncias, segundo ele, não é apenas fazer oposição, e sim ajudar o município a governar melhor na crise.

“A partir do momento que nós formulamos uma denúncia em defesa dos recursos públicos, nós estamos apontando saídas para que essa cidade não venha a ter, por exemplo, o fim do Ipam [Instituto de Previdência e Assistência Social de Cajazeiras]. Estamos preocupados com a folha de pagamento dos servidores do município, que está ameaçada também, como é dito pelo próprio prefeito, diante dessas dificuldades”.

Vereador Rivelino Martins

Resposta do prefeito

Após a repercussão das denúncias do vereador Rivelino Martins, no início da tarde desta terça-feira (17) o prefeito José Aldemir Meireles emitiu um decreto em que adota medidas administrativas para conter gastos na máquina pública.

No documento existem dezenas de medidas que o prefeito diz que vai tomar para tentar regularizar as contas públicas. Algumas das principais secretarias serão atingidas, inclusive a de Educação, já que o decreto estabelece “Adequação das despesas com merenda escolar de modo a manter o padrão nutricional básico necessário, porém reduzindo ao máximo os custos com esse objeto de gasto”.

Entre outras medidas estão a suspensão temporária de contratação de servidores, com exceção do que é previsto em lei; suspenção de concessão de novas gratificações sem autorização do prefeito; e determina a revisão do quadro de cargos de comissão, gratificações e de servidores contratados sem concurso.

Veja o decreto completo abaixo (clique nas imagens para ampliá-las)

DIÁRIO DO SERTÃO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *