Advogado pede a liberdade de universitária de Cajazeiras presa por estelionato; MP nega

O advogado de defesa da universitária de Cajazeiras, Maria Liduina Andrade Leite, de 32 anos de idade, acusada de estelionato, Rogério Bezerra pediu a liberdade provisória da acusada, porém, teve parecer contrário nesta quarta-feira (17), do Ministério Público, através do Promotor Márcio Gondim.

A universitária é acusada de aplicar golpes e no momento da prisão se passava por uma médica da cidade de João Pessoa.

A polícia apreendeu na casa da estudante, 33 talões de cheque, mais de 40 cartões de créditos com nomes diferentes, 10 chips, 36 cheques entre R$ 3.000 e R$ 10.000 e muita mercadoria.

Ação
O promotor além de negar a liberdade à acusada pediu a prisão preventiva de Liduina, que está na cadeia feminina de Cajazeiras. O processo já está tramitando na 4ª Vara da Comarca local, que tem a frente o juiz Gustavo Camacho.

“Ela foi autuada por estelionato e furto, inclusive de energia. Não foi um evento pontual na vida da investigada. Desse modo o Ministério Público entendeu não ser indicada a liberdade provisória”. Disse o promotor

Márcio Gondim informou ainda, que no prazo de 48 horas o juiz deverá anunciar sua manifestação quanto ao pedido de liberdade provisória.

 

 

DIÁRIO DO SERTÃO

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *